Campanha Anti-Plágio

Pamela Chris

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

O Heroi Perdido - Rick Riordan

Eu ñ tenho certeza, mas acho q cheguei a comentar q estava sem tempo para ler livros. C ñ...
Bem, eu ñ estou com muito tempo para ler livros. Primeiro pq eu estou escrevendo (meu PC quebrou, então tô usando o do meu namorado. Mas apenas durante 2 horas por dia, e olha lá) e segundo pq tenho q estudar para o ENEM.
Felizmente, ou ñ, o ENEM é mês q vem, então logo terei tempo. Mas, enquanto isso, falarei d livros q eu já li há um bucadinho d tempo. Por isso ñ riam c eu mudar o nome dos personagens, ou algo assim, ;)
 
·  Editora: Intrínseca
·  Autor: RICK RIORDAN
·  ISBN: 9788580570083
·  Número de páginas: 432
·  Formato: Médio
 

Vcs já ouviram falar do ladrão d raios? Provavelmente, já q o livro virou um filme. Pois bem, a história e contada em cinco livros excepcionais. Cada um nos prende mais do que o outro, e o último é d tirar o folego.
Quem lê séries d livros sabem como é ler o último: aquela felicidade por td ter acabado bem, e blá, blá, blá, e o leve desapontamento por ñ ter mais livros.
Me senti assim com Percy Jackson. Então eu descobri o Heroi perdido.
Esse livro é, literalmente, a continuação da série Percy Jackson, e ñ fiquei surpresa quando esse livro c mostrou tão empolgante quanto a série "antiga". Lembro d q eu li o primeiro parágrafo na intenção apenas d saber mais ou menos como era o começo do livro. O PROBLEMA FOI Q EU Ñ CONSEGUI PARAR!!!
O personagem principal se chama Jason, e o livro começa com ele acordando no ônibus. É empolgante pq ele fica c perguntando pq está naquele ônibus, qual é a sua idade, quem eram as pessoas que estavam com ele e pq uma garota muito bonita está segurando a sua mão. Até q ele percebe q ñ só ñ sab como foi parar ali, como tbm ñ se lembrava d nada dele próprio, apenas seu nome.
E então acontece a ação: eles são atacados por Ventus (axo q era esse o nome) e ele e mais dois são levados para o acampamento meio sangue por Annabeth. É nesse momento q fala q o Percy está desaparecido.
O livro, definitivamente, ñ me decepcionou de maneira alguma. Os mistérios são postos d tal forma q a gente ñ consegue achar uma solução d jeito nenhum.
E os enigmas parecem simplesmente impossíveis.
Quando terminamos d ler, e o mistério é desvendado, nossa reação é ficar de boca aberta sem conseguir dizer uma única palavra.
Fora q há outra profecia, aquela do última livro d Percy Jackson.
"Sete meio-sangues ao chamado vão responder
Em tempesdade ou fogo o mundo deve perecer
A Promessa manter com o final respirar
E às Portas da Morte, armas e inimigos enfrentar
"
 
Estou super ansiosa para ler o segundo. Espero q ñ demore.
Ah, e vale muito a pena ler esse livro. É, claro, vc tem q ser forte para ñ enlouquecer d ansiedade pelos próximos livros da série.


Bjs
Pamela Chris

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Halo - Alexandra Adornetto

Olá. Sei q faz tempo q eu n posto, mas muitas coisas têm acontecido. Inclusive o meu computador ter quebrado :(
Por isso vou passar a postar pelo meu celular, e ler os comentarios da msm forma.


  • Editora: Agir
  • Autor: ALEXANDRA ADORNETTO
  • ISBN: 9788522012213
  • Ano: 2010
  • Número de páginas: 472
  • Formato: Médio
Acabei d ler Halo.
Para quem ñ sabe, Halo é a história de um anjo, Bethany, que vem a Terra com seus dois irmãos, Gabriel e Ivy, a fim de trazer um pouquinho de paz a uma cidade. Lá tem acontecidos coisas estranhas, como incêndios e acidentes que acabam em morte, onde antes ñ havia nada disso.
Bethany é nova, e se deslumbra com a Terra, principalmente quando ela se apaixona por um rapaz chamado Xavier. Então ela fica divida em sua missão naquela cidade e o seu amor proibido.
Muito bom, msm q no começo eu tenha odiado a personagem principal, Beth (ou Bethany). Ela ñ estava nem aí para as consequências d seus atos, ñ pensava no amanhã.
Mas em compensação adorei o Xavier, par romântico da Beth. Ele é muito fofo, o verdadeiro príncipe encantado. E o romance deles é algo muito bonito, puro.
E o enredo é bem atraente, nos fazendo perguntar qual vai ser o futuro desse romance proibido.
E quando achamos que td está bem, uma grande reviravolta acontece.
Estou muito ansiosa para os outros dois livros. Principalmente pq agora eu estou curiosa com o Jake (o vilão), e principalmente com o q ele disse para a Beth: É nosso destino ficarmos juntos.
Recomendo.
Bjs
Pamela Chris
Enviado de um celular LG Claro

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Memes

Respondendo aos memes

Meme musical
1. Seu cantor favorito: Chris Duran
2. Sua cantora favorita: Fernanda Brum
3. Uma banda e/ou um grupo: Apocalipse 16
4. Uma música que te marcou no passado e uma que está marcando no presente: Cura-me (Fernanda Brum) ; Firme (Apocalipse 16) 
5. A música da minha vida: Já posso suportar (Apocalipse 16)
6. Uma música que te lembra um dia feliz e uma que te lembre um dia triste: Awesome God (Hillsong); Deus Esperava Mais (Apocalipse 16)
7. Uma música que te enche de saudade: Inesquecível (Promises)
8. Se pudesse assinar seu nome e dizer "Essa música é minha", qual seria? Pra que (Chris Duran)
9. Cite três estilos musicais que você adora e três estilos musicais que você não suporta ouvir: Hip Hop, Pop, Rock leve; Funk, Pagode e Axé.
10. Cinco músicas de sua playlist (de preferência, uma que não tenha sido citada acima): Incondicional (Oficina G3), Árvore de bons frutos (Apocalipse 16), C.S. Lewis Song (Brooke Fraser), Ouve, Senhor (Diante do Trono), Isaías 53 (Diante do Trono).

Meme Literário

1- Por que entre tantas atividades você prefere ler? Pq ler para mim é tão essencial quanto respirar. É como eu viajo para outros mundos, compreendo as pessoas e deixo a minha imaginação voar.
2- Por que gosta de ler livros físicos (na era da internet muitos leem por ela)?
Por que tocar o livro é como se eu estivesse tocando a história...
3- Por que comprar livros (poucos usam as bibliotecas ultimamente)?
Por que eu gosto de ter os livros comigo, e a cada livro é um passo para um sonho meu: ter uma biblioteca particular.
4- De onde vem seu incentivo de leitura, os blogs literários tem alguma influência nele?
Acho que eu gosto de ler por que gosto de criar histórias. Uma coisa é ligada à outra. Ninguém me incentivou à leitura.
5- Você lê o que esta na moda ou segue algum escrito que te agrada?
Se eu gosto da sinopse, eu leio, estando ele na moda ou não. Se eu leio os que estão na moda é por que falam mais sobre eles e, consequentemente, é deles que eu tenho conhecimento.
6- Ler um livro atrás do outro faz bem?
 Fotos de coisas que eu amo:
DEUS

 MEU AMOR: DYEGO

 ANIMAIS SELVAGENS

 CHOCOLATE (quem não ama?)

 ESCREVER


 LER

 VESTIDOS

 LUGARES PARADISÍACOS

 SERES MITOLÓGICOS

 CURIOSIDADES

domingo, 11 de setembro de 2011

Bienal e Sussurro

Consegui ir para a Bienal na sexta!!! UHUUU! Achei que não iria conseguir esse ano, mas estava eu lá. Espero q na próxima vez eu consiga ir tds os dias, pq gostaria de ouvir os escritores que lá vão.

Ou q pelo menos eu consiga ir como autora...
Vcs acreditam que a Editora Multifoco ñ estava na Bienal esse ano? Procurei por ela e ñ achei d jeito nenhum. Achei tão estranho, pq ano passado ela estava na Bienal de São Paulo. E pq uma editora do Rio não estaria na Bienal do Rio? Vai entender...
Mas pelo menos me divertir muito e tive vários ataques de histeria... Tantos livros, e eu ñ pude comprar nenhum :(. Mas conheci um monte. Um dia, quando eu tiver dinheiro p/ comprar livros, irei satisfazer meus desejos.
E, veja só, encontrei um livro escrito por uma jovem da minha idade. E o livro parece ser bom. [Vou procurar na net, e quando achar vou postar aqui para vocês.] É bom ver pessoas jovens escrevendo e publicando livros (como eu, huahuahua).
Ah, vou deixar ali do lado o endereço de alguns sites de livros por quais eu me interessei. Livros de autores brasileiros, e esperam que vcs gostem.
Quando eu tiver mais tempo para conhecer esse mundo brasileiro (leia-se: qnd eu tiver net em casa) ponho uma página aqui falando desses novos autores e publicando suas sinopses.


  • Editora: Intrínseca
  • Autor: BECCA FITZPATRICK
  • ISBN: 9788598078786
  • Ano: 2010
  • Número de páginas: 264
  • Formato: Médio

Enquanto isso, falo de mais um livro que li há tempos atrás, mas que até agora me deixa louca: Sussurro, da série Hush Hush. Tenho certeza que muita gente conhece, mas, nossa, tenho que falar sobre ele.
Bem, para quem não sabe, lá vai a sinopse:
“Se apaixonar nunca foi tão fácil... ou tão mortal!
Para Nora Grey, romance não fazia parte do plano. Ela nunca esteve particularmente atraída aos garotos de sua escola, não importa o quanto sua melhor amiga, Vee, a empurre em cima deles. Não até que Patch chegue.
Com aquele sorriso fácil e olhos que parecem ver dentro dela, Nora fica atraída a ele contra sua vontade.
Mas após uma série de aterrorizantes encontros, Nora não tem certeza em quem confiar. Patch parece estar em todo o lugar que ela está, e saber mais sobre ela do que seus amigos mais próximos. Ela não consegue decidir se deve cair em seus braços ou correr e se esconder. E quando ela tenta buscar algumas respostas, ela se encontra perto de uma verdade que é mais perturbadora do que qualquer coisa que Patch a faça sentir. Porque Nora está bem no meio de uma antiga batalha entre os imortais e aqueles que sucumbiram - e, quando se trata de escolher lados, a escolha errada custará a sua vida.”

E esse livro é, definitivamente, apaixonante. Engraçado (apesar d q eu rio com qualquer livro, rsrsrs), cativante, misterioso, e nos deixa loucos.
Patch é um cara em incomum, e a cada página nos perguntamos quais são as suas verdadeiras intenções. Não sabemos se torcemos para Nora se encontrar com ele ou ñ, pq cada encontro pode ser um passo para a morte.
Fora tbm as cenas “românticas” (defina “romântica”). Essas nos deixam com os olhos vidrados nas páginas, e até prendemos a respiração. Até que algo mais aterrorizante acontece, e prendemos novamente respiração, dessa vez por um motivo diferente.
E se em alguns livros podemos explicar dados mistérios (oh, aquele vulto foi a imaginação dela...), nesses não. As coisas acontecem (ou não acontecem) e ficamos nos perguntando como foi (ou ñ foi) aquilo de fato.
Bem, vou pôr um pedaço do livro para explicar melhor o q quero dizer:
“Ande no Arcanjo comigo.”
Eu estiquei meu pescoço, encarando-o. Gritos estridentes ecoaram enquanto os carros ressoavam nos trilhos.
“Duas pessoas por assento.” Seu sorriso mudou para um sorriso malicioso vagaroso e ousado.
“Não.” De jeito nenhum.
“Se continuar fugindo de mim, você nunca vai descobrir o que realmente está acontecendo.”
Aquele comentário deveria ter feito eu correr. Mas não fez. Era quase como se o Patch soubesse exatamente o que dizer para atiçar a minha curiosidade. Exatamente o que dizer, exatamente no momento certo.
“O que está acontecendo?”
“Só há uma maneira de descobrir.”
“Não posso. Tenho medo de altura. Além do mais, a Vee está esperando.” Só que, de repente, pensar em subir tão alto no ar não me assustava. Não mais. De um jeito absurdo, sabendo que eu estaria com o Patch me fez sentir segura.
“Se você der uma volta completa sem gritar, eu direi ao Treinador para mudar nossos assentos.”
“Eu já tentei. Ele não cede.”
“Eu posso ser mais, convincente que você.”
(...)
Patch sacudiu seu queixo para a rampa. “Parece que é a nossa vez.”
Eu empurrei o portão giratório. Na hora em que chegamos à plataforma de embarque, os únicos carros vazios eram os bem da frente e bem de trás da montanha-russa. Patch se dirigiu em direção do primeiro.
(...)
Os carros rolaram para trás, então se lançaram para frente. Não de um jeito suave, nós nos dirigimos para longe da plataforma, subindo colina acima uniformemente. O cheiro de suor, ferrugem, e água salgada soprando do mar encheu o ar. Patch sentava-se perto o bastante para ser cheirado. Eu capturei o traço mais leve de sabonete de menta espesso.
“Você está pálida,” ele disse, inclinando-se para ser ouvido por sobre os trilhos estalando.
Eu me senti pálida, mas não admiti isso.
No cume da colina, houve um momento de hesitação. Eu conseguia enxergar por quilômetros, observando onde à região rural se misturava com o barulho dos subúrbios e gradualmente se tornava a grade dos lugares de Portland. O vento retinha-se, permitindo que o úmido assentasse na minha pele.
Sem querer, eu roubei uma olhada para o Patch. Eu encontrei um sentido de consolação em tê-lo ao meu lado. Então ele lançou um sorriso sarcástico.
“Assustado, Anjo?”
Eu apertei a barra de metal parafusada na frente do carro enquanto senti meu peso insinuar-se para frente. Uma risada trêmula escapou de mim.
Nosso carro voou demoniacamente rápido, meu cabelo chicoteando atrás de mim. Inclinando-se para a esquerda, então para a direita, nós tremíamos sobre os trilhos. Dentro, eu senti meus órgãos flutuarem e caírem em resposta ao passeio. Eu olhei para baixo, tentando me concentrar em algo que não estivesse se movendo.
Foi então que eu notei que meu cinto de segurança tinha se soltado.
Eu tentei gritar para o Patch, mas minha voz foi engolida pelo movimento do ar. Eu senti meu estômago ficar oco, e eu soltei a barra de metal com uma mão, tentando colocar o cinto de segurança ao redor da minha cintura com a outra. O carro se lançou para a esquerda. Eu bati de ombros com o Patch, pressionando contra ele tão arduamente que doía. O carro levantou vôo, e eu senti se levantar dos trilhos, não totalmente fixo neles.
Nós estávamos submergindo. As luzes piscando nos trilhos me cegavam; eu não conseguia ver pra que lado o trilho se virava no final do mergulho.
Era tarde demais. O carro inclinou-se para a direita. Eu senti uma onda de pânico, e então aconteceu. Meu ombro esquerdo bateu contra a porta do carro. Ela se abriu, e eu fui arrancada do carro enquanto a montanha-russa acelerava sem mim. Eu rolei para os trilhos e lutei por algo para me ancorar. Minhas mãos não achavam nada, e eu desabei sobre a beirada, mergulhando diretamente para baixo pelo ar negro. O chão se acelerou até mim, e eu abri minha boca para gritar.
Quando dei por mim, o passeio acabou repentinamente na plataforma de desembarque.
Meus braços doíam de tão apertado que Patch me segurava. “Agora, isso é o que eu chamo de grito,” ele disse, sorrindo ironicamente para mim.”

Entendem agora o que eu quero dizer?
É meio como Crepúsculo, porém muito mais picante e aterrorizante. Vale à pena ler.
Bem, até a próxima. E espero que tenham gostado.
BJS

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Liberdade

Sou do tipo de pessoa que tem que escrever pelos menos 250 páginas de um livro (atualmente o que eu terminei tem 434 páginas). Porém estava vasculhando meu computador e encontrei um trabalho de escola.
Como o texto ficou legal,vou postá-lo aqui:

LIBERDADE

As pessoas podem achar que ser livre é poder chegar em casa mais tarde, beijar à vontade, usar drogas, ou até mesmo dirigir um carro.
Mas nem tudo fazemos em liberdade.
Eu sou livre para usar drogas. Elas estão em todo canto, ninguém pode me impedir. Mas a partir do momento que eu uso da minha liberdade para fazer essa escolha, já não sou mais livre. A droga me escravizou.
Sou livre para beber cerveja, vinho, ice. Qualquer bebida alcoolica. Mas aí me tornarei escrava do álcool.
Posso muito bem ir para uma balada, e beijar quem eu quiser. Quando eu quiser. Mas aí, já não sou mais livre. Sou escrava de meus desejos.
Posso apontar uma arma para a cabeça de alguém e matá-lo. Eu sou livre para tomar essa decisão. Mas depois me torno escravo da culpa.
Posso pegar essa mesma arma e apontar para minha cabeça, a fim de me matar. Sou livre. Posso fazer isso. Mas me tornarei escrava da morte, da qual nunca vou me libertar.
Sim, é verdade que somos livres para fazer qualquer coisa. E todas as nossas decisões nos levam para caminhos diferentes. Temos apenas que tomar cuidado para que esses caminhos, que escolhemos com tanta liberdade, não nos leve à escravidão.
Posso tudo, mas escolho não poder nada, para não me tornar escrava de decisões erradas.


Espero que gostem.
BJS

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Livro marcante

-->
Se perguntarem para mim que livro marcou a minha vida, certamente responderei “A Cabana”. Não se foi o melhor (pq eu nunca saberei definir qual foi o melhor), mas sim o que marcou.
E não estou falando apenas em relação à minha fé, mas à minha maneira de ver os acontecimentos, as pessoas. Passei a compreender o que Deus quer dizer com “não julgue as pessoas”.
Numa parte Deus diz para o personagem principal (faz tempo q eu li, então ñ lembro o nome dele) que ele devia perdoar o homem que matou a filha dele. E ele responde: Como eu posso perdoar o filho-da-@#$%# que matou a minha Missy?
Então Deus diz algo mais ou menos assim: Querido, você sabe por tudo o que ele [o assassino] passou, como o pai dele o tratava, o que aconteceu com ele e como ele reagiu aqueles acontecimentos?
O que eu quero dizer é que não podemos julgar as pessoas simplesmente por que não sabemos nada da vida dela (não importa que tenhamos passado a vida td com tal pessoa). Mesmo que seus atos tenham sido horríveis, como o assassinato, não podemos julgá-la. É Deus quem faz. Pois só Ele conhece o coração do Homem.
Aliás, vamos tomar como exemplo um assassino qualquer. Será que se tivéssemos passado por td o que ele passou, ñ teríamos feito as mesmas coisas?
Não quero dizer que devemos passar a mão na cabeça do corrupto, do ladrão. Mas às pessoas ñ cabem a nós julgar: Isso é com Deus. Quanto aos atos, que a justiça os condene.

Outros livros:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...